Aretê

Pode não extravasar
o reduto vazo
este rebento tenro.
Espólio híbrido à sombra

doutra mãe farta,
doutro pai terno,
adorador do vento raso.

Quer-se transplantar,
cresceu alto e maior,
da sombra pró calor.

Carrego-o com vagar
para o teu patamar
acima das flores,

o fruto singular
de perfeitos amores.

GJ